Terça-feira, 15 de Dezembro de 2015
Anedotas

O Dezoito 3

Como a Senhora ficou irritada por ter que pagar ao António dois meses de vencimento, embora satisfeita com os serviços prestados e que o Sr. Doutor juiz não tinha tempo para cumprir, resolveu pôr mais uma vez testar as habilidades do empregado António da seguinte maneira:

A aposta seria a dobrar, quer para um, quer para o outro.

Desta vez o António tinha que dormir entre as duas filhas do casal, duas loiraças boas como o milho, uma com dezoito anos e outra com vinte, mas, sem lhe tocar o que é muito complicado para este homem de grande gabarito sexual. mas o António como um bom beirão aceita mais uma vez o desafio e partiu para a guerra dos chamados sexos.

Como combinado o António instala-se no meio das moçoilas, mas, atou o pénis com um cordel a uma das suas pernas. ora como era de esperar, as meninas é que não foram pelos ajustes e, quando o António fingia que dormia elas muito cuidadosamente cortaram o cordel e aí o António ficou com o animal à solta para puder pastar à vontade; como qualquer animal selvagem o bicho fez das suas e atacando pela esquerda e pela direita, foi uma noite de muito trabalho, que resultou num longo cansaço indo a senhora acordá-los já altas horas inundados em prazer.

Mais uma vez a senhora replicou e reclama a aposta, mas o António já tem a lição estudada e mais uma vez o Sr. Doutor juiz é chamado a resolver esta questão.

O António põe a questão desta maneira:

Sr. Doutor, certo individuo na minha terra tinha uma leira de terreno (isto é um bocado de terreno) entre outros; e um dia resolveu prender um burro no seu terreno afim de ele pastar, mas os vizinhos proprietários dos terrenos ao lado e com apetitosos pastos resolveram cortar a corda que prendia o animal, indo este para os terrenos alheios provocando alguns estragos.

A pergunta é: Tem que o dono do animal indeminizar os vizinhos por tal acto pelo qual não foi responsável?

O Sr. Doutor juiz mais uma vez analizou o caso e decidiu que o dono do animal nada tina que pagar pelos eventuais estragos nas propriedades vizinhas como até podia pedir uma indeminização por invasão de propriedade alheia pois a corda que prendia o animal foi cortada pelos mesmos.

E assim o Sr. Doutor juiz resolveu mandar o António para a sua aldeia pois ficou com receio que algo acontecesse ao seu velho corpo.

publicado por Alegria às 22:00
link do post | comentar | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Setembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
.posts recentes

. Curiosidades

. Album de Sabedoria

. Momento de Poesia

. Momento de Poesia

. Momento de Poesia

. Momento de Poesia

. Momento de Poesia

. Momento de Poesia

. Momento de Poesia

. Momento de Poesia

.arquivos

. Setembro 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Dezembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Março 2014

. Janeiro 2010

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

.favoritos

. Momento de Poesia

.links
contador de visitas gratis
Contador de Visitas
blogs SAPO
.subscrever feeds