Sábado, 30 de Maio de 2015
Anedotas

As calcinhas da mãezinha

Dois alentejanos passeiam numa rua da Vidigueira, quando reparam

numa jovem mais que boa, que caminha em direcção a eles.

Diz um para o outro:

- Vêja só, compadri! Essa magana traz vestidas as calcinhas da sua mãe!

- Nã me lixe, compadri, que isso nã é possível, que ela nem

sequer conhece a MINHA mãe!

- Claro que sim... aposto 100 euros que traz vestidas as calcinhas

da sua mãe! Pergunte-lhe e logo verá...

- Desculpe, menina... De quem são as calcinhas que traz vestidas?

- Da puta que o pariu !!!...

- Ê nã lhe disse, compadri?...

 

Cachorro Quente

Um alentejano vai a Lisboa.

Chegando à capital, vê uma tasca com uma placa onde se lê: "Cachorros Quentes."

Diz ele para consigo:

- Bem, vamos lá experimentar.

Assim que é servido, o alentejano olha para o cachorro quente e diz:

- Bolas... É que não tenho mesmo sorte nenhuma... Primeira vez que como um cachorro quente, e tinha logo que me calhar a pilinha!

publicado por Alegria às 22:13
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 28 de Maio de 2015
Anedotas

A Cafeteira e as Cartas

 

Lição de Física.

Pergunta o pai:

- Chiquinho: Qual é a utilidade do vapor que faz levantar a tampa da cafeteira quando a água ferve?

- A utilidade... a utilidade... Já sei. Serve para a mamã abrir as cartas antes que o paizinho as veja.

 

Afinal Quem Manda?

 O patrão, furioso, para a criada:

— Afinal, quem é que manda aqui? Sou eu ou é você?

— Nem um nem outro. É a senhora.

 

As Ovelhas e o Cão

Uma loira farta de ser gozada pela sua cor de cabelo decidiu pintá-lo. Depois como já ninguém sabia que ela era loira decidiu verificar se o conseguiam descobrir. Foi ao Alentejo e encontrou um pastor a guardar as suas ovelhas. Foi falar com ele e disse-lhe:

- Se eu conseguir adivinhar quantas ovelhas tem você dá-me uma?

- Você? Assim de repente... não acredito! Diga lá.

- 134.

- Credo, e não e´que adivinhou mesmo? Escolha lá a ovelha.

- Pode ser essa que tem debaixo do braço.

Toda contente a loira pega no seu prémio e vai-se embora. Nisto o alentejano pergunta:

- Se eu adivinhar a côr natural do seu cabelo você devolve-me o cão?

 

 

publicado por Alegria às 21:27
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 27 de Maio de 2015
Anedotas

 

Anedotas

 

A Casinha Amarela

Certo velhote abalou para Lisboa a cavalo no seu burro. Chegado à capital, prendeu o burro lá àquela casa amarela que é o elétrico. Em seguida o velhinho foi a um hotel ver se havia lá quarto para ele dormir.

— No hotel ao ver um quarto com uma cama o velhinho pensou que, dormindo debaixo da cama, pagaria menos. Por isso deitou-se debaixo da cama.

Seguidamente, veio um casal de noivos para passar a lua-de-mel.

— A rececionista querendo ser simpática foi verificar o que podia arranjar e ao ver a cama vazia, pensou: Afinal o velhote foi-se embora.

Acomodou os noivos no respetivo quarto, que imediatamente se puseram em movimento.

Em determinado momento a noiva exclama:

— Ai filho, está-me a saber tão bem que até vejo Lisboa andar à roda.

O velho, debaixo da cama acordou e cheio de curiosidade exclama:

— Ai, menina, veja se vê o meu burro, que ficou preso a uma casinha amarela e não o vi mais.

publicado por Alegria às 17:52
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 26 de Maio de 2015
Anedotas

Anedotas

 

Amigos Chegados

 

Muito alegres, depois de uns copos bebidos, o homem puxa pelo braço do amigo de ocasião, arranjado naquela festa, e diz-lhe em tom de gabarolice:

— Estás a ver? Que coincidência! Olha aquelas duas, ali. A loira é a minha mulher, e a morena que conversa com ela é minha amante.

— Curiosa coincidência, realmente. Comigo e com elas passa-se exactamente a mesma coisa... Só que é exactamente ao contrário.

 

As Ventoinhas

Mês de Julho, sol a escaldar, vai-se inaugurar, com um pequeno voo, o campo de aviação de Beja. O trajo das autoridades obriga toda a gente a manter-se encasacada. Alagado em suor, o compadre Manel, convidado para a cerimónia, desabafa:

— Tal nã é esta merda dum cabrão! Se haviam de pôr as aventoinhas aqui dentro do avião, a fazer fresco, atão não vão pô-las da parte de fora?!

publicado por Alegria às 21:29
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 24 de Maio de 2015
Anedotas

O Bife do José

 

Um certo José Manel da minha aldeia veio para a cidade em tempos antigos e começou a trabalhar num talho como moço.

O tempo correu e ele passou a oficial de talhante com muito mérito passando a conhecer ao pormenor todas as qualidades de carne com um simples olhar.

Certo dia de visita a uma quinta onde existia um restaurante de alta qualidade, resolveu entrar e almoçar.

Ao consultar o respetivo cardápio, verificou que o mesmo continha diversos pratos com imensa variedade e, entre eles os respetivos bifes de vaca, tais como: bife do lombo, bife do acém e bife da rabadilha, etc.

Cheio de curiosidade e para ver se eles de fato serviam os bifes que tinham na lista, pediu ao empregado de mesa um bife da rabadilha.

Passados alguns minutos o empregado colocou à frente do José um longo bife com aspeto maravilhoso. O José, olhou para o bife, virou dum lado, virou do outro e chamou o empregado reclamando que o bife não correspondia ao pedido, ele tinha pedido um bife da rabadilha e trouxeram-lhe um bife do lombo. O empregado levou o bife para a cozinha comunicando o fato ao cozinheiro homem batido nestas andanças de cozinha, que lhe disse com ar de rofia:

Ai, esse tem a mania que é esperto? Tá bem. Pegou no bife deu-lhe mais umas pancadas com o respetivo martelo e zaz, frigideira com ele e, mais uns pozinhos e está pronto a seguir para a mesa.

O empregado leva o bife para a mesa do José e pensava que estava o assunto resolvido, mas não.

O José chama o empregado e resolveu reclamar outra vez: Vocês estão a brincar comigo? Trouxeram-me o mesmo bife, só que desta vez foi mais uma vez á frigideira. Chame o gerente que eu quero falar com ele. O empregado apressou-se a chamar o gerente a quem o José explicou o sucedido. O gerente vai à cozinha protesta com o cozinheiro e a coisa ficou calma, mas o cozinheiro que não estava pelos ajustes e como tinha ali guardado para certas ocasiões a cona da vaca, não olhou para trás e de faca em punho…zaz…zaz, corta as beiças da cona da vaca e com umas pancadinhas, frigideira e… sai bife para a mesa do José.

O José ao aperceber-se da situação e perante o olhar do empregado deu meia volta à carne comeu e bebeu com satisfação. Finalmente chama o empregado a quem solicitou a presença novamente do gerente, e, com atitude de gozo dirigiu-se ao mesmo desta maneira:

Meu amigo eu vou-me embora, não vou pagar o almoço porque eu Cona, como-a de qualquer maneira mas o meu bife da rabadilha é que não veio.

publicado por Alegria às 21:48
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 22 de Maio de 2015
Anedotas

Caso Complicado

Um advogado e um engenheiro estão a pescar nas Caraíbas, quando o advogado diz:

— Estou aqui porque a minha casa ardeu, e tudo foi destruído pelo fogo. A companhia de seguros pagou tudo e, com o que sobrou, vim para cá.

— Que coincidência! Estou aqui porque a minha casa e tudo o que estava dentro foi levado por uma enchente. O seguro cobriu tudo — diz o engenheiro.

O advogado fica calado por alguns instantes e então pergunta:

— E como é que você provocou a enchente?

 

Cinquenta Anos de Casado

Dois alentejanos encontram-se na rua.

— Atão compadre, que cara é essa?

— Ah Zé, tou aqui que na sei! Hoje faço cinquenta anos de casado!...

— Eh Maneli, parabéns, e atão o que vais dar a tua Maria?

— Olha quando fizemos vinte e cinco anos levei-a a Lisboa...

— Grande ideia...

— Agora na sei se a vá buscari.

 

publicado por Alegria às 22:06
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 20 de Maio de 2015
Anedotas

 

Atropelamento de Alta Velocidade

 

Um caracol ia a atravessar a estrada e foi atropelado por uma tartaruga.

Quando acordou nas urgências do hospital, perguntaram-lhe o que lhe tinha acontecido:

— Como querem que eu saiba?! Foi tudo tão depressa!

 

As Unhas

 

Dois alentejanos vão a uma piscina.

Um deles sobe à prancha.

Diz o outro:

- Ó compadri! Você parece uma águia!

- Ai sim? Atão porquêi? Por causa do mê pêto? Dos braços? Dos ombros?

- Nã, compadri... Por causa das unhas!

publicado por Alegria às 21:51
link do post | comentar | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
.posts recentes

. Momento de Poesia

. Momento de Poesia

. Momento de Poesia

. Momento de Poesia

. Momento de Poesia

. Momento de Poesia

. Momento de Poesia

. Momento de Poesia

. As más companhias

. O Fontanário

.arquivos

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Dezembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Março 2014

. Janeiro 2010

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

.favoritos

. Momento de Poesia

.links
contador de visitas gratis
Contador de Visitas
blogs SAPO
.subscrever feeds